@Destaques
gamificação

Nos últimos anos, a gamificação vem ganhando espaço no meio corporativo, sendo usada para treinamento e desenvolvimento de profissionais. Mas ainda existem muitas dúvidas quanto a sua aplicação e objetivo dentro das empresas, como no caso da experiência gamificada em um LMS

Neste guia, quero trazer as vantagens e benefícios que a gamificação pode trazer para o mundo corporativo, tirando todas as suas dúvidas. Por isso, vou focar nos tópicos abaixo: 

O que é Gamificação?

  • O que é Gamificação?
  • As diferenças de um treinamento comum e um treinamento gamificado
  • Os benefícios da gamificação para os setores de T&D
  • A gamificação se baseia em motivações
  • As características da Gamificação no treinamento
  • Quais são os benefícios da Gamificação no treinamento?
  • Então, como devo implantar a Gamificação?
  • Cases de sucesso
  • Empresas e profissionais;
  • Conclusão

Gamificação é uma palavra derivada do inglês Gamification, que é a técnica de aplicar a mecânica de jogos a um ambiente de aprendizado, visando aumentar o engajamento dos treinamentos oferecidos. A gamificação torna o material educacional prazeroso, trazendo assim vários benefícios tanto para o colaborador quanto para a empresa. 

As mecânicas de jogos são usadas para as metas de aprendizado, levando em conta como os usuários vencem ou progridem nos níveis. Essas mecânicas podem levá-los a ganhar pontos, emblemas, níveis, tabelas de classificação ou até mesmo premiações. O comportamento dos usuários são ações consequentes, que surgem quando essas técnicas de jogos são aplicadas. O objetivo da empresa com essas técnicas é a conclusão do curso relacionado ao conhecimento esperado do usuário. 

Para os setores de DHO, as sensações psicológicas despertadas pela gamificação são fundamentais. Elas trazem à tona o lado emocional dos usuários, que consiste em emoções positivas ou negativas evocadas durante a experiência de um programa de treinamento gamificado.

As diferenças de um treinamento comum e um treinamento gamificado

Vou fazer aqui um comparativo entre treinamentos comuns (considere um treinamento sem gamificação) e os treinamentos gamificados. 

Trabalhando há mais de 10 anos com treinamento corporativo, vi na gamificação uma evolução nos treinamentos presenciais e no EAD. Ela eleva consideravelmente o nível tanto dos times de T&D quanto das pessoas que recebem o treinamento. Esse movimento começou antes da pandemia, então algumas empresas chegaram bem preparadas. Assim, conseguiram atender seu público na modalidade EAD, sendo assertivas no engajamento e no conteúdo passado para os funcionários.

Treinamento comum:

Em muitos casos, consiste em materiais de treinamento entregues em textos simples e documentos baseados em imagens e elementos de EAD (vídeos, áudios, pacotes scorms…). Nos treinamentos presenciais, temos a velha fórmula de funcionários confinados em uma sala ouvindo um instrutor repassar o conteúdo. Por mais interessante que o assunto possa ser, o formato é cansativo e monótono. Além disso, cai em uma grande armadilha: não atende as necessidades de aprendizado  nem se comunica com uma turma que tem diferentes gostos e gerações.

Treinamento gamificado:

Isso reflete o que quero te mostrar neste texto . Comparando com uma pesquisa realizada pela Talent LMS, a relevância do tema fica ainda mais evidente: 

Já começo com números. De acordo com a 8ª edição da Pesquisa Game Brasil (PGB), de 2021, mais de 80% dos brasileiros dizem jogar jogos eletrônicos. A Brasil Game Show (BGS), em pesquisa publicada na revista Exame, afirma que 67 milhões de brasileiros têm plataformas de jogos eletrônicos em casa (computadores e consoles).

  • 89% dos funcionários se sentem mais produtivos e felizes com gamificação no trabalho;
  • 83% daqueles que recebem treinamento gamificado se sentem motivados, enquanto 61% dos que receberam treinamentos convencionais se sentem entediados e improdutivos;
  • 89% acreditam que seriam mais produtivos caso sua rotina profissional fosse mais gamificada;
  • 78% afirmam que a gamificação em processos de recrutamento torna a empresa mais desejável de se trabalhar.

Um treinamento gamificado incentiva o usuário a avançar cada vez mais no treinamento, pois a cada módulo ele pode receber uma bonificação. Você pode fazer isso por meio de pontos para um ranking na empresa ou, em alguns casos, para trocar por brindes. No entanto, para ele passar para o próximo nível, deve completar pelo caminho um quiz, um jogo ou atividade semelhante relacionada ao conteúdo visto Isso faz com que seu aprendizado seja muito mais efetivo e essas ações funcionam muito bem em treinamentos presenciais também. Mas a gamificação não se resume somente a isso. Continue esta leitura para saber mais (sim, você será beneficiado)! 

gamificacao

Os benefícios da gamificação para os setores de T&D 

Os setores de T&D conseguem levantar estatísticas mostrando a eficácia dos treinamentos gamificados, além de trazer insights para melhorias internas. Como falei anteriormente, psicólogos tendem a ter grandes resultados com a gamificação, pois ela mostra as alegrias e frustrações dos usuários. (relacionadas às suas conquistas e perdas nos games) que podem levar a vários ações na empresa. Vou falar de algumas que gosto de trabalhar ao pensar em um treinamento gamificado.    

O prazer em fazer um Treinamento

Pense em uma atividade que para você é um passatempo. Pode ser qualquer uma. Isso é o início da técnica de gamificar. Treinamentos gamificados, assim como nossos passatempos, nos ajudam a nos sentir bem. Também adicionam ao aprendizado uma qualidade viciante. Isso se dá quando você recompensa os usuários por ações específicas, principalmente as que eles gostam. 

Diante disso, despertamos a melhora dos níveis de humor. Por exemplo: elementos baseados em jogos, como emblemas, ajudam a comemorar ainda mais uma conquista. Quando esses usuários partem para outro módulo ou um novo curso, sua vontade é ainda maior, tendo em vista que novos objetivos estão a caminho. 

Sim, essa sensação os jogos trazem, tornando o processo viciante. Mas não pense como algo ruim, muito pelo contrário. Os benefícios educacionais aqui são elevados. Ao gamificar seu treinamento, você estará ajudando a impulsionar o engajamento e a mudança de comportamento dos usuários em sua plataforma de treinamento.

A gamificação se baseia em motivações 

A gamificação no treinamento fornece um ambiente propício ao aprendizado, aproveitando a motivação dos usuários. Por meio do uso da técnica de gamificação dentro de um ambiente de treinamento, podemos capturar melhor a atenção e o foco de nossos alunos.

Por exemplo: ganhar recompensas e subir na tabela de classificação mantém os alunos envolvidos com seus resultados de aprendizado. Mais importante, explora suas motivações mais profundas, como o desejo de realização. Dessa forma, a gamificação ajuda os alunos a alcançar um envolvimento constante!

A melhoria de comportamentos

Somos programados para fazer melhor o que nos traz satisfação. E isso a gamificação desperta e muito. Quando realizamos treinamentos gamificados, aprendemos, através do conteúdo principal repassado a importância das conquistas e o quanto elas fazem parte do nosso dia a dia para evoluir. Por isso, essa é a experiência que mais gosto na gamificação. Como é um ciclo viciante, nós aprendemos a comemorar pequenas vitórias diárias, tornando nosso dia prazeroso através de uma entrega no trabalho, uma reunião bem-sucedida, ou uma simples resolução dos problemas da rotina profissional.  

Em resumo, a gamificação permite que os alunos sejam motivados a repetir os comportamentos desejados. Por meio dessa recorrência, tanto na aprendizagem quanto no dia a dia, nossas ações são reforçadas e retidas a longo prazo. 

A gamificação permite avaliações flexíveis 

As técnicas de gamificação permitem medir o conhecimento do aluno não só por meio de avaliações. Muitas ferramentas de gamificação permitem avaliar o desempenho considerando tempo/tentativas versus o avanço para cumprir determinada ação no treinamento (ou o desempenho de um aluno em qualquer ponto do treinamento). Da mesma forma, esses mecanismos podem ajudar a moldar as avaliações para se adequarem às necessidades dos alunos.

Esses modelos de avaliação podem ser transformados em desafios divertidos cheios de gatilhos de reforço, como pontos, medalhas e recompensas. Esses atuam nos curtos períodos de atenção dos alunos, mantendo o engajamento.

Sendo assim, os setores de T&D podem facilmente obter insights sobre o progresso de seu público dentro do ambiente gamificado. Com funcionalidades como avaliações gamificadas, por exemplo, podemos medir como está o grau de dificuldade ou compreensão do treinamento. Por meio da gamificação, você oferece aos seus alunos um maior grau de flexibilidade e personalização – um item obrigatório para os treinamentos atuais.

 Tudo isso que trouxe é de extrema importância para aplicarmos todos os níveis de avaliação dos resultados de treinamento.. Lembre-se que as avaliações precisam ser compreendidas e planejadas para nossos treinamentos. 

A gamificação e o aprendizado do dia a dia

Algumas técnicas de gamificação nos treinamentos nos levam a ter hábitos no dia a dia de trabalho de forma muito rápida e dinâmica. Existem elementos de gamificação que nos obrigam a dar rápidos feedbacks e só conseguimos avançar nas ações sendo assertivos nesse sentido. Lembra daquele ciclo vicioso? Ele acaba progredindo para o dia a dia, nos tornando muito mais assertivos. 

Muitos dos jogos populares de hoje trazem elementos sociais. Recursos sociais comuns incluem feeds de atividades, bate-papos no jogo e notificações via push.

De acordo com o modelo de aprendizagem 70:20:10, 90% de tudo que aprendemos no trabalho ocorre fora de nossas experiências formais de treinamento. Por esse motivo, ao combinar gamificação e aprendizado social, criamos um ambiente onde as experiências de aprendizado informal podem florescer.

As características da Gamificação no treinamento

Como vimos, estudos comprovam que a gamificação aumenta o engajamento do aluno. Mas até agora não falei como isso ocorre na prática. Vou abordar as principais mecânicas de jogos. Mecânicas de jogos são exatamente o que extraímos dos jogos para o treinamento. Vamos agora ver as que você pode implantar para criar seu próprio programa de treinamento gamificado.

Emblema

Lembra daqueles jogos em que você conquistava moedas, diamantes etc? Nos treinamentos gamificados podemos chamar esses elementos de emblemas. Os emblemas são símbolos virtuais ou físicos de realização pessoal. Portanto, eles ajudam a fornecer reforço positivo para seus alunos. Os emblemas podem valer pontos: quanto mais avançado no treinamento, maior o valor. Uma curiosidade: hoje é muito comum ouvirmos falar sobre NFT, que nada mais é que um emblema recebido em jogos que, inclusive, são negociados em mercados de criptomoedas, podendo atingir 6 ou até 7 dígitos.

Ranking (Placar de Líderes)

Em um treinamento, você ganha pontos ao avançar nos módulos, trilhas etc… . Essa pontuação é somada criando um ranking entre os participantes. A classificação  ajuda a explorar as motivações de seus alunos. Afinal, todos querem ser reconhecidos e elogiados. Essa mecânica também funciona particularmente bem em dinâmicas em grupo.

Pontos

Pontos de experiência são pontos que os alunos ganham à medida que progridem no treinamento. Por isso, eles também são uma indicação do domínio de um aluno sobre seu ambiente de aprendizagem. Esses pontos podem ser dados em quiz, em um jogo como memória, completar textos etc.

Conteúdos bloqueados (ou fases/níveis)

Ah, vai dizer que não dá aquele alívio quando passamos de fase em um jogo? E, além do alívio, a empolgação de acessar a próxima fase desbloqueada por termos cumprido a anterior! É isso que devemos passar com essa ferramenta. Cada nível deve apresentar novos conteúdos e desafios para ajudar a manter os níveis de interesse altos.

Recompensas

As recompensas podem ser inúmeras. Aqui, o aluno é premiado de acordo com seu nível de pontuação, podendo trocar por emblemas exclusivos, novos cursos ou até mesmo premiações físicas. Muitas empresas criam uma loja virtual onde os funcionários trocam seus pontos por premiações. Lembrando que o objetivo aqui é explorar as motivações dos alunos, convertendo em engajamento para os cursos e seu desenvolvimento profissional, como vimos.

Existem muitas outras mecânicas de gamificação para aplicar aos treinamentos. Citei as mais usadas, porém recomendo que você sempre se atualize e pesquise sobre o tema.

Quais são os benefícios da Gamificação no treinamento?

Mudanças comportamentais

Treinamentos gamificados permitem engajar alunos com maior probabilidade de permanecerem motivados para concluir seus módulos de treinamento. As mecânicas de incentivo ajudam a reforçar padrões de aprendizagem.

Como vimos, é um ciclo vicioso, sendo comum os usuários mudarem seu comportamento não somente nos treinamentos, mas em seu dia a dia, trazendo os incentivos para sua rotina. Isso é fantástico!

Envolvimento do usuário 

Aquela sensação de querer mais e mais. Quando acontece isso, a gamificação cumpriu com seu papel na capacitação. Manter alunos engajados nos treinamentos é o desafio dos setores de T&D. Com as ferramentas que vimos, isso não é só possível como prazeroso, pois as sensações vão além do engajamento.

Resultados de aprendizagem 

Quando o usuário se vê num ciclo de módulos em que só é possível avançar vencendo a etapa anterior, ele entende que sua evolução depende somente dele. Isso é incrível. A gamificação simula seu desempenho profissional provando que depende dos seus conhecimentos, habilidades e atitudes para evoluir. Os resultados trazidos para a aprendizagem são notáveis. Embora não somente o game deva fazer isso, o material educacional deve ser bem elaborado.

Promove a integração entre as pessoas

Em empresas onde a gamificação foi bem-sucedida, é comum ver as pessoas nos corredores conversando sobre seus rankings nos ambientes de treinamento. Isso proporciona uma integração entre colaboradores e setores. As disputas e batalhas sadias trazem essa sensação incrível para as empresas.

Gamificação é uma ferramenta transformadora, mas…

Vimos que a gamificação traz resultados maravilhosos nos treinamentos (tanto no EAD quanto no presencial). Mas não ache que é a ferramenta que resolverá todos os problemas que você tem quanto a treinamento. A gamificação não é uma fórmula mágica. Sendo mal aplicada, trará vários outros problemas. Dentro dos setores de DHO sabemos que existem vários outros problemas a serem resolvidos além da motivação e do engajamento.

Um ambiente de aprendizado desatualizado e bagunçado, uma plataforma mal gerenciada, conteúdos educacionais ruins, ou a falta de apoio da diretoria, podem ser a causa raiz do baixo desempenho dos programas de treinamento. 

Implantar gamificação em ambientes educacionais mal desenvolvidos trará resultados péssimos, causando um efeito inverso ao que esperávamos. Nesses casos, a gamificação desviará o foco do aluno, que deveria ser o material de treinamento, prejudicando seu aprendizado. Assim, os usuários podem ficar mais focados em realizar todas as conquistas, porém não terão uma evolução profissional.

Os usuários podem perceber que o excesso de jogos ou ferramentas mal aplicadas estão ali somente para dizer que existe uma gamificação, tendo um papel irrelevante no conteúdo abordado. Nesses casos podemos ter uma baixa de engajamento nos treinamentos.

Games em excesso também podem trazer sensações ruins. Os jogos também se tornam cansativos e monótonos. Por isso, devem ser aplicados de maneira correta. 

Então, como devo implantar a Gamificação? 

Primeiro passo:
Recicle seu ambiente de aprendizado. Mas recicle mesmo. Não tenha dó de jogar fora o que não serve. Antes da implantação de novas ferramentas de treinamento, esse é o trabalho principal. Separe o que é atual do que está desatualizado do seu material, depois recicle novamente o que está desatualizado. Coloque em uma lista o que é necessário atualizar, e o restante jogue fora. 

Segundo passo:
Levante suas dificuldades: O que te aflige a ponto de pensar em implantar mais uma ferramenta de capacitação? É a falta de engajamento, é seu material educacional que está mal elaborado, sua plataforma LMS que não ajuda… Tenha certeza que a ferramenta que está buscando é a correta. A gamificação não é algo fácil e barato de se implantar, então levante bem essas informações.

Terceiro passo:
Organize seu ambiente de aprendizado. Se trabalha com cursos EAD, organize seu LMS. Se trabalha com treinamentos presenciais, organize suas estratégias e estrutura educacional. Separe os materiais internos em trilhas, módulos etc. Assim, vai conseguir visualizar onde as ferramentas da gamificação podem agir de maneira correta.

Quarto passo:
Por que não uma pesquisa entre os usuários? Tenha isto em mente: a gamificação não é para você, é para seu público. Você pode achar tudo lindo e maravilhoso, mas eles podem não concordar. Faça uma pesquisa de persona com os usuários e levante seus gostos e preferências ao realizar um treinamento.

Quinto passo:
Use o bom senso. É fundamental. Aplique a ferramenta nos pontos de dificuldade levantados anteriormente. O game pode ser maravilhoso, mas só desenvolva algo assim se realmente for funcional para o momento. Recomendo que você crie desafios que incentivem o domínio e uma sensação de satisfação para seus alunos.    

Dica: procure empresas parceiras para auxiliar. Existem instituições especializadas em gamificação e plataformas gamificadas. Conte com seus parceiros para auxiliar nesse trabalho. Implantar uma gamificação não é da noite para o dia. Requer planejamento e estudos aplicados.

Cases de Sucesso

Em rápidas pesquisas pela internet, você encontra várias empresas que conseguiram implantar a gamificação nos seus ambientes de treinamento tornando-se cases de sucesso. Devido aos muitos artigos que listam esses cases, não vou mencionar vários e vários cases aqui. Mas deixo este artigo que traz empresas no Brasil e no mundo que são modelos de gamificação bem-sucedida.  

Empresas citadas nos artigos: 

  • Hyundai;
  • Netflix;
  • Duolingo;
  • Google;
  • Vivo;
  • Santander;
  • Starbucks;
  • Madcode;
  • Domino’s Pizza;
  • Waze;
  • McDonald’s;
  • Heineken;
  • Yuny Store;
  • Play2sell.

O Waze é um ótimo exemplo para conversarmos aqui. É um aplicativo de mapas e GPS usado pelo mundo. A empresa traz um modelo de gamificação que se expande para os usuários.

Ao usar o app, você alcança conquistas ao longo dos quilômetros percorridos. Essas conquistas elevam seu nível e você vai ganhando emblemas e novas funções desabilitadas para que suba de nível:  


Empresas e profissionais 

Falamos sobre gamificação, suas vantagens, desafios, ferramentas etc. Mas quem aplica essas soluções? Tem empresas preparadas? Profissionais? Vamos falar um pouco sobre isso.

Como esse mercado cresce constantemente, como vimos, sempre precisa de profissionais para a gamificação. Mas que profissional é esse?

Aqui podemos separar a gamificação presencial e a gamificação para ambientes EAD. Nos treinamentos presenciais, normalmente encontramos profissionais de RH e Psicologia aplicando técnicas e ações gamificadas em dinâmicas em grupo. Portanto, isso não deixa de ser gamificação. Realizar um exemplo na prática de um conteúdo abordado pode trazer elementos de gamificação sem que você saiba, muitas vezes, que é isso que está fazendo. Nos dias de hoje, esses profissionais já buscam ferramentas de gamificação para aplicações presenciais. Existe um movimento muito grande em escolas de ensino médio realizando essas atividades. Professores vem se capacitando para o ensino através da gamificação.

Por outro lado, quando falamos da gamificação em ambientes EAD, o assunto se torna muito mais complexo. A gamificação em ambientes virtuais requer alguns conhecimentos além da gamificação em si, Aqui podemos citar profissionais da área de TI, programadores, UX/UI Designers, Designers gráficos, programadores de jogos e Designers Instrucionais. Aqui, devemos aplicar as métricas de gamificação e, para tirar do papel e levar para um ambiente virtual, precisamos contar com alguns profissionais como os citados acima. Em alguns países, é possível encontrar analistas de gamificação com conhecimento mais amplo, mas aqui ainda é novidade. Muitos profissionais estão se especializando na área e buscando esses conhecimentos e habilidades. Trazendo minha opinião, acredito que em breve teremos um aumento significativo de profissionais capacitados na área.

Mas o caminho mais prático, barato e seguro são as empresas especializadas em plataformas e ferramentas de criação gamificadas. Essas trazem a expertise e o conhecimento da gamificação nos ambientes de aprendizado. 

Conclusão

O movimento de gamificar o treinamento é fantástico. Dar prazer aos usuários em fazer um treinamento e buscar mais e mais é o sonho dos setores de T&D das empresas. A gamificação torna isso possível, elevando o nível dos treinamentos e, consequentemente, o nível de aprendizado dos alunos. Mas cautela é a palavra que devemos sempre levar junto. Vimos que existem várias regras e cuidados antes, durante e depois de aplicar a gamificação. Esses cuidados são fundamentais para não tornar os problemas de treinamento cada vez maiores.

Este guia não é um passo a passo para implantar uma gamificação, mas sim uma base para entender que a gamificação é sim ferramenta de trabalho educacional nos dias de hoje, que deve ser considerada e levada a sério nas empresas.

Não tente sair fazendo tudo sozinho. Conte com empresas parceiras. Elas darão um norte para que você saiba por onde começar. 

Vamos aprender, vamos jogar e vamos evoluir!

Sobre o autor

Edemilson Correia da Silva

Design Instrucional na Portobello Grupo 💙 | Editor da plataforma Educa Editec 💡 | UI/UX Designer 🎫 📲 | Parceiro Mobiliza 🤜🤛

O que achou? Comente aqui :)

Comentário enviado para moderação!

Erro ao enviar a mensagem, tente novamente!

Se você gostou deste, pode gostar também...

competências profissionais 10 principais competências profissionais para 2022
Quer iniciar sua carreira como designer instrucional?
Perfil comportamental Como utilizar a análise de perfil comportamental para melhorar a produtividade das equipes?