@Destaques

As duas opções mais usuais para para transformar treinamentos presenciais em vídeo são: os formatos de vídeo com apresentador e vídeo animado.

Para te explicar como adequar seu conteúdo um desses dois formatos, APERTE O PLAY no quarto e último vídeo da 2ª temporada da nossa série “T&D na Prática”. O tema será apresentado pela nossa designer instrucional, Stephany. ⬇

Se por algum motivo você está impossibilitado(a) de assistir o conteúdo em vídeo, transcrevemos as dicas neste artigo para você não perder nada!

Para você que não apertou o play, continue lendo:

O vídeo com apresentador, também conhecido como videoaula, é o mais comum em treinamentos online. Nele, temos uma pessoa apresentando o conteúdo com ou sem o apoio de elementos visuais, como letterings, que são palavras-chave em tela, imagens, que podem ser ícones, ilustrações ou fotografias, e esquemas. 

Já no vídeo animado, podemos ter locução, trilha sonora e elementos visuais animados. Esse tipo de vídeo é bastante comum em propagandas e, até mesmo, em vídeos institucionais.

Agora vamos falar sobre a adaptação do conteúdo!

O primeiro passo é captar a fala do palestrante. A Iô preparou um vídeo com dicas sobre isso. Se você ainda não assistiu, confere depois nesse link aqui!

Depois, é necessário definir o tempo de duração do vídeo ou dos vídeos, caso você faça mais de um. Na Mobiliza, recomendamos o tempo máximo de 5 minutos por vídeo. Assim, não fica cansativo e o colaborador consegue focar na informação que está sendo transmitida. 

Dica! Para você ter uma noção de tempo, 1 minuto de vídeo tem, mais ou menos, 130 palavras.

Você pode escolher uma parte do seu treinamento para ser em vídeo ou dividir todo o conteúdo em vários vídeos de acordo com os assuntos-chave.

Com isso definido, é hora de fazer o roteiro! É nesse momento que você vai escrever o conteúdo utilizando uma linguagem mais fluida e clara, bem próxima à fala. Procure usar frases mais curtas e pausadas, o que contribui para a compreensão da mensagem. 

Se você for fazer um vídeo com apresentador, você pode dividir o seu roteiro em cenas que tenham até umas quatro frases de narração. Lembre-se de indicar as palavras-chave que devem aparecer em cada cena. Também é legal usar ícones que estejam relacionados com o assunto, pois recursos visuais auxiliam na retenção e memorização de conteúdo.

Agora, se você optar por um vídeo animado, a narração de cada cena deverá ser mais curta. Às vezes, uma única frase pode ser dividida em várias cenas, dependendo de como a animação for trabalhada. As cenas podem ser construídas com ícones, ilustrações ou até mesmo fotos, além dos letterings. Procure manter uma sequência lógica e utilizar elementos relacionados entre si, como se estivesse contando uma história.  

Essas foram as dicas da Stephany! Curtiu? A segunda temporada da série T&D na prática conta com vídeos sobre pílulas essenciais para quem trabalha com treinamento e desenvolvimento. Junte-se a mais de 700 profissionais de T&D e inscreva-se na nossa newsletter para receber mais conteúdos como este em primeira mão.

Pra complementar o seus estudos sobre o assunto, sugiro que você faça, também, o nosso treinamento sobre roteirização de cursos online. Ele é gratuito, totalmente online e está disponível neste link aqui! Você ganhará além do passo a passo, um template para construir seus conteúdos online.

Sobre o autor

Clarissa Melo

Marketeira e publicitária apaixonada por experiências, comunicação e humor desde sempre. Ah, e também sou louca por animais e com um estilo musical no mínimo, polêmico.

O que achou? Comente aqui :)

Comentário enviado para moderação!

Erro ao enviar a mensagem, tente novamente!

Se você gostou deste, pode gostar também...

applique-treinamento-ead 5 ferramentas auxiliares para utilização de vídeos em treinamento EaD
As 4 perguntas mais comuns sobre treinamento em vídeo
Como transformar um treinamento presencial em treinamento online