@Destaques
Design Instrucional

Realizar treinamentos e aperfeiçoar técnicas com as equipes da sua empresa é uma prática extremamente importante, não é? Não à toa, segundo a pesquisa Panorama do treinamento no Brasil, pelo menos 70% das empresas brasileiras têm orçamento definido para a área de T&D. 

O que muita gente não sabe é que existem técnicas que elevam o nível dos treinamentos presenciais e online, gerando maior engajamento dos profissionais e fazendo com que a retenção do conteúdo possa ser demonstrada na prática. 

O Design Instrucional é a área responsável por planejar e executar estratégias que facilitem a aprendizagem e que gerem a melhor experiência para o aluno com o conteúdo apresentado. Quanto mais adequado é o curso para o perfil do público, maior domínio ele terá sobre o tema ao final do treinamento. 

Por isso, o profissional do design instrucional tem papel fundamental e estratégico com todos os setores das empresas, uma vez que ele torna o conhecimento sobre temas complexos muito mais acessível e aplicável.

O que é Design Instrucional?

A palavra design tem um sentido bem amplo e está associada à ideia de planejar, projetar, conceber ou designar.

Se levarmos em consideração a ideia de projetar, fica mais fácil de entender que um designer instrucional determina a maneira mais agradável e interessante de servir o conteúdo educativo, criando experiências de aprendizagem eficazes e envolventes. 

Qual o papel do Designer Instrucional? 

Quem nunca começou um curso super empolgado e acabou abandonando? Isso pode acontecer por vários motivos, é verdade, mas quando o assunto é envolvente, colocamos a nossa atenção de forma muito mais natural e sem tanto esforço, não é? 

Nosso sistema nervoso recebe milhões de estímulos por minuto. Mas a nossa capacidade de assimilar memórias recentes gira em torno de apenas 7 itens. Sim, se você receber 10 palavras para decorar em sequência, provavelmente você conseguirá se lembrar de 7. 

Sendo assim, um treinamento precisa ser muito bem elaborado para que possamos memorizar o conteúdo de forma tranquila. Para isso, podemos contar com o designer instrucional (DI), um profissional com conhecimentos e competências relacionadas à andragogia e a metodologias de aprendizagem. A partir de técnicas instrucionais, o DI vai transformar o conteúdo para que o curso seja melhor aproveitado e que o conhecimento seja aplicado no dia a dia do colaborador. 

Qual é a importância do Design Instrucional para a empresa? 

No momento em que um colaborador entra na empresa ele precisa ser integrado ao novo ambiente, por isso, o onboarding pode ser considerado o primeiro treinamento que ele receberá. 

Seja para entender o dia a dia da equipe, seja para compreender o uso de uma ferramenta tecnológica específica: realizar um treinamento para iniciar um novo trabalho traz a motivação para encarar os desafios que virão, além de frequentemente diminuir a ansiedade por não saber exatamente o que esperar no dia a dia. 

Aplicar Treinamentos para a melhor performance em números 

Além do onboarding, sua empresa certamente passa por situações em que o treinamento é necessário para atualizar seus colaboradores sobre técnicas e novidades do mercado — que está cada vez mais dinâmico! 

Este contexto é totalmente favorável para a atuação de um designer instrucional, pois ele é capaz de sistematizar informações complexas de forma que os colaboradores consigam acompanhar o raciocínio lógico e praticar as técnicas, para entregar o melhor resultado prático à sua organização.  

Desenvolvimento de lideranças do futuro

Mas além de cuidar da parte técnica dos treinamentos da sua empresa, o design instrucional também ajuda a olhar para a gestão da cultura e para o desenvolvimento de soft skills, como a liderança. 

Para se ter uma ideia, o conteúdo sobre comunicação foi um dos mais citados como prioridade de investimento em todos os setores: indústria, serviço, comércio e administração pública. 

Seguindo as tendências de foco não só na capacitação dos profissionais, como também em desenvolvimento contínuo, as equipes de Recursos Humanos/Gestão de pessoas estão trazendo mais profissionais especializados em T&D (Treinamento e Desenvolvimento). 

O objetivo é liderarem projetos de educação corporativa continuada que elevem o nível das entregas e resultem em mais lucratividade, por prepararem o profissional efetivamente. 

Quais técnicas utilizar no design instrucional para criar um treinamento? 

Para iniciar o processo de criação de treinamentos corporativos, o designer instrucional se debruça sobre o tema solicitado pela empresa com um olhar multifocal, utilizando técnicas que guiarão a sua metodologia de ensino. Vamos destacar duas das mais utilizadas. 

Técnica dos 3 D’s 

  • Definição dos objetivos de aprendizado; 
  • Decisão de quando e como dividir o seu conteúdo;
  • Desenvolvimento da estratégia correta de design instrucional. 

A definição dos objetivos deverá responder a questões relativas ao que deve ser melhorado no desempenho do colaborador, à condição que será dada a ele para desempenhar essas atividades e também os critérios de avaliação. 

Já em relação à decisão de quando e como dividir o conteúdo é uma técnica que fragmenta o assunto a ser abordado, de modo que o aprendizado ocorra por etapas. 

Por fim, o desenvolvimento da estratégia é o momento de definir quais formatos de ensino serão utilizados: palestras presenciais, vídeos, slides, etc.

Técnica ADDIE

Considerada por muitos uma técnica mais completa, a técnica ADDIE consiste em: 

  • Analysis (análise);
  • Design (estruturação);
  • Development (desenvolvimento);
  • Implementation (implementação); 
  • Evaluation (avaliação). 

A inclusão da etapa de análise é importante porque traz como variável o público para o qual se destina o treinamento. Pode parecer besteira, mas o olhar para quem consumirá o curso pode determinar quais formatos serão melhor aceitos e como prender a atenção do público nos momentos certos. 

Com a análise pronta, a estruturação, o desenvolvimento e a implementação também serão desenvolvidas de forma fluida. Importante destacar que na etapa de avaliação, utilizar métricas tanto de aproveitamento do curso, como de impressões do colaborador, ajudará a entender se o treinamento realmente foi valoroso para aquela pessoa. 

Assim, a atenção aos objetivos transformados em metas e métricas é a única maneira de medir os progressos e resultados reais para o seu negócio.

Como o Designer pode detectar um problema instrucional? 

Ao planejar uma universidade corporativa, é importante considerar as expectativas sobre a área. Por que isso? É simples: nem todos os problemas de resultados são por falta de competências dos colaboradores. 

É necessário olhar com cautela para os processos da sua empresa, entender os gargalos nas operações para conseguir identificar se o que está faltando é, de fato, treinamento e desenvolvimento. 

É muito comum outras questões estarem influenciando nos números e desempenhos do seu time: processos ineficientes, ferramentas de trabalho ultrapassadas, baixa motivação por outros fatores e etc. 

Você terá realmente um problema instrucional quando o entrave para conquistar os melhores resultados acontece por falta de conhecimento, instrução ou desatualização do profissional. 

Como estudar o público-alvo para a criação de treinamentos? 

Não basta apenas querer passar o conhecimento adiante: é preciso compreender quem receberá o conteúdo e como conseguirá transpor a teoria. Um dos maiores desafios no design instrucional é justamente utilizar abordagens que se encaixem bem ao público. 

Voltando à questão das competências de um designer instrucional: como podemos elevar a experiência do aluno ao se deparar com o conteúdo do curso? 

Fazer uma pesquisa sobre a realidade do público pode ser a primeira etapa para acertar na comunicação e no formato de conteúdo. 

Imagine que seu projeto de treinamento seja voltado para um grupo de caminhoneiros. Provavelmente eles não utilizam tanto um computador desktop ou notebook, mas sim, o celular. Pensando neste dispositivo, é possível já imaginar que a leitura fique prejudicada devido ao tamanho da tela, então, que uma boa estratégia pode ser priorizar vídeos ou áudios. 

Além disso, por mais complexo que o assunto possa ser, uma linguagem mais informal também pode ajudar na compreensão do conteúdo, facilitando o acompanhamento do curso e estimulando os caminhoneiros a irem até o final. 

Viu só por que é importante ter uma visão bem clara sobre o seu público-alvo? Não menos importante é o exercício da empatia: com qual tom você acredita que aquele aluno gostaria de ser tratado? 

Lembre-se sempre que o treinamento corporativo é um momento de aperfeiçoamento, e para que ele atinja o seu fim, o lúdico pode (e deve!) ser parte do processo. 

Qual a importância da Andragogia para o treinamento corporativo?

Sabe aquela história de que “com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades”? Pois bem, a vida adulta ao mesmo tempo que traz a liberdade de ser e fazer (mais ou menos) o que queremos, também cobra de nós a responsabilidade pelos nossos atos a todo instante. 

Calma, não é papo de análise! É que quando se trata de ensinar adultos, precisamos considerar que o aluno assume uma postura ativa no processo de aprendizagem. Com isso, o trabalho do design instrucional é ainda mais impactante na atração e motivação. 

Andragogia, por definição, é a ciência de auxiliar os adultos a aprenderem. Vamos conectar alguns pontos sobre o aprendizado desse grupo de indivíduos. 

Movidos por propósito

Por mais gratificante que seja receber o reconhecimento de superiores, dificilmente isso fará com que adultos se mobilizem em torno de um curso. O que move as pessoas, em geral, é o propósito que está guiando aquela transformação. 

É responder a perguntas como: por que eu quero aprender sobre isso? De que maneira esse conteúdo vai mudar a minha vida? Esta pergunta nos leva ao próximo tópico. 

Conhecimentos aplicáveis 

Para uma pessoa que tem tantas tarefas ao longo do dia, sendo muitas vezes responsável pela manutenção da casa ou pelo cuidado de terceiros, faz sentido receber um conteúdo que ela não veja aplicação prática? 

Um dos fatores que mais motivam adultos é saber que estão empregando bem o tempo em um treinamento que impulsione os seus objetivos. E saber por que estão aprendendo também ajuda a manter a motivação elevada. 

Metáforas ou a vida real como cenário

Conectando a questão da aplicabilidade, o entendimento de conteúdos fica muito mais fácil se for trazido para um cenário real, inclusive, em uma situação corriqueira do dia a dia do colaborador. É como se você estivesse falando a mesma língua da pessoa, o que abre caminhos para a fixação de conceitos e conexão com a vida prática. 

Não menos importante é o uso de metáforas, uma figura de linguagem que quebra a rigidez da simples transmissão de disciplinas e se aproxima mais do adulto que está ali aprendendo. 

Como o Designer Instrucional pode otimizar a criação de conteúdos corporativos? 

É fato que o modelo online vem ganhando espaço na educação do Brasil, e aumentou muito com a pandemia do coronavírus. Foram meses de distanciamento social que aceleraram também o desenvolvimento de tecnologias e métodos desta modalidade de ensino. Hoje já é possível observar uma maturidade em torno do assunto. 

Não queremos dizer que os treinamentos presenciais serão descartados, mas a tendência é que o modelo híbrido possa suprir as necessidades que as empresas encontram no caminho do desenvolvimento de colaboradores. 

O design instrucional modela ambos os tipos de ensino e extrai o melhor de cada um, de acordo com a empresa e o perfil dos colaboradores. No caso do presencial, os eventos dependem de muitas variáveis para acontecerem. 

Os treinamentos online já contam com mais precisão, especialmente se a empresa possui uma plataforma para criação e edição de conteúdos corporativos. 

Ferramenta de autoria para o seu e-Learning

A simplificação de processos na hora de criar cursos certamente fará a diferença no seu dia a dia e da sua equipe de T&D. 

No cotidiano de um time que trabalha com design instrucional, a tecnologia tem lugar essencial, já que além de pensar em estratégias e no desenvolvimento dos cursos, é muito comum que certas áreas do conhecimento sofram atualizações. 

Imagine ter que ajustar o seu e-Learning toda vez que eu houver uma atualização de conteúdo, sem a possibilidade de usar uma ferramenta que salva arquivos em nuvem e facilita a edição! Parece muito trabalhoso, não é? 


Applique:

Ferramenta aliada na criação e edição de treinamentos corporativos 

Praticidade é foco da ferramenta Applique. Seja para subir arquivos integrados à sua plataforma LMS ou para fazer atualizações em cursos já existentes: entregar materiais de forma prática e com a cara da sua empresa é o objetivo aqui. 

Tudo para que você se dedique ao que realmente importa:
desenvolver pessoas!

Aproveite todas as funcionalidades: 

• Suporte consultivo em português com especialistas em desenvolvimento de treinamentos
• Banco de imagens com mais de 1 milhão de fotos, gifs e vídeos
• e-Learning com a cara da sua empresa: logo e cores
conversor de texto em áudio
• Opção de vídeos, áudios e recursos interativos
• Atualização em tempo real
• Formato SCORM



Sobre o autor

O que achou? Comente aqui :)

Comentário enviado para moderação!

Erro ao enviar a mensagem, tente novamente!

Se você gostou deste, pode gostar também...

Universidade Corporativa Universidade Corporativa: Guia definitivo para implementar a sua UC
Onboarding Onboarding: quais conteúdos e temas não podem faltar?
Estreitar relacionamento Boas práticas para o RH estreitar o relacionamento com os sindicatos