Treinamento corporativo

Imagine a seguinte situação: Ana, analista de treinamentos de uma empresa de automóveis, realizou um treinamento para o time de vendas sobre um novo carro. Dois meses depois, o produto está sendo lançado e, agora que os vendedores vão colocar o conhecimento em prática, Ana percebeu que eles já não se lembram das principais informações.

Por isso, quando falamos sobre como as pessoas aprendem, precisamos abordar a Curva do Esquecimento. Você já ouviu falar dela? E sabe como o esquecimento interfere nas suas ações de T&D? Continue lendo que esse é o tema do nosso artigo de hoje!

O que é a Curva do Esquecimento?

A Curva do Esquecimento é uma teoria antiga, que foi apresentada em 1885 pelo filósofo alemão Hermann Ebbinghaus. Essa teoria é a base que usamos para entender como funciona o esquecimento e, consequentemente, o aprendizado.

Você já parou para pensar em quanta informação coletamos no nosso dia? Assistimos a vídeos, acessamos redes sociais, conversamos com colegas e familiares, lemos notícias, enfim… é muita coisa! E não queremos armazenar tudo na nossa memória, não é mesmo? Desejamos que os aprendizados mais importantes estejam disponíveis facilmente, assim que precisarmos.

Por isso, o nosso cérebro prioriza aquilo que ele considera relevante, usando o processo de esquecimento: todas as informações com as quais não temos contato intenso ou recorrente, em pouco tempo, são esquecidas. 

Quanto mais tempo nós ficamos sem ter contato com o que aprendemos, mais esquecemos aquilo que tínhamos estudado. 

Logo após termos contato com um conteúdo, nossa retenção de conhecimento começa a cair e só vai aumentar quando tivermos contato novamente com esse conteúdo. Neste gráfico, podemos visualizar essa relação:

Como podemos observar, o contato com as mesmas informações após um período de tempo reforça a aprendizagem e diminui o esquecimento. Nosso cérebro tenta esquecer as informações, mas o contato recorrente faz com que a Curva do Esquecimento fique cada vez menos acentuada e o conteúdo seja lembrado, cada vez mais, por um período mais longo de tempo.

A Curva do Esquecimento interfere em todo tipo de informação que o cérebro recebe. Portanto, também influencia os treinamentos que você está aplicando aí na sua empresa. 

Como minimizar os efeitos da Curva do Esquecimento? 

Um treinamento corporativo de sucesso precisa entregar resultados. Como vimos no exemplo da Ana, aprender sobre o novo carro foi importante para os vendedores conhecerem o produto, mas faltaram ações de reforço, já que os colaboradores não conseguiram reter as informações por tempo suficiente para aplicá-las quando precisaram. 

A retenção de conteúdo ocorre por meio de duas formas: recorrência e intensidade. Ou seja, experiências mais marcantes (intensas) e conteúdos que são vistos mais de uma vez (recorrentes) tendem a ser lembrados.

Por isso, dizemos que a aprendizagem não é um evento único.

É necessário fazer com que os colaboradores relembrem o material, tendo novo contato com o mesmo tema, só que cada vez de uma forma diferente. Para isso, você pode usar diversos formatos de conteúdo e criar ações de reforço. Por exemplo, primeiro disponibilizar um e-learning, depois enviar um vídeo e, após um tempo, encaminhar um quiz, elaborando o que chamamos de Jornada de Aprendizagem.

Nos projetos que desenvolvemos para os nossos clientes, gostamos de dividir o assunto em partes menores, usando mídias diferentes, como telas de e-learning, vídeos animados e atividades que simulam uma situação para o colaborador aplicar o conhecimento. Também preparamos materiais como quizzes com questões mais objetivas e pontuais, além de resumos em PDF para resgatar o assunto abordado no conteúdo.

Conclusão

O esquecimento acontece porque o nosso cérebro entende que não precisa guardar informações que não são usadas. Se não estamos colocando em prática o que aprendemos, o cérebro não faz uso do conhecimento. Então, para ter uma maior retenção de conteúdo, é necessário estimular a memória ao longo do tempo

Por isso, prepare pequenas ações para reforçar o aprendizado e melhorar os resultados da equipe com o objetivo de ter treinamentos realmente efetivos!

Ahh… queremos conhecer a sua realidade também! Conte pra gente se você desenvolve diferentes formatos de conteúdo e aplica ações de reforço na sua estratégia de treinamento e desenvolvimento.

Sobre o autor

Stephany Kaori Yoshida

Administradora de formação e designer instrucional por paixão. É pilateira, adora cafés especiais, ri alto e tem uma alegria contagiante.

O que achou? Comente aqui :)

Comentário enviado para moderação!

Erro ao enviar a mensagem, tente novamente!

Se você gostou deste, pode gostar também...

[Infográfico] Como as pessoas aprendem?
3 conceitos básicos sobre retenção e engajamento de colaboradores que você precisa saber
O que é jornada de aprendizagem na educação corporativa e como implementar